Corona Bug

Inumeráveis

não há quem goste de ser número

gente merece existir em prosa

Se você perdeu alguém para a Covid-19, acesse o site do Inumeráveis e faça uma homenagem.

O Inumeráveis é um memorial dedicado à história de cada uma das vítimas do coronavírus no Brasil. É uma maneira de entrelaça-las e formar um nó de afeto, memória, respeito e futuro.

Memorial Inumeráveis

Desde 2020, o mundo vem sendo duramente atingido pelas consequências dessa doença avassaladora. Como em todas as pandemias, as pessoas tornaram-se números. Estatísticas são necessárias, mas insuficientes ― o imaginário não dá conta de números tão altos. 

“Números flutuavam na sua memória e ele dizia a si mesmo que umas três dezenas de pestes que a história conheceu tinham feito perto de cem milhões de mortos. Mas que são cem milhões de mortos?” Diz o narrador em A peste, livro de Albert Camus sobre uma pandemia ficcional em Oran, na Argélia. 

É preciso humanizar e narrar para que os dados não se dissolvam no ar distante e frio do cotidiano, para que não se perca a dimensão de que são vidas, histórias, desejos, subjetividades.

Se nem todas as vítimas tiveram a chance de um velório ou de se despedir de seus entes queridos, que tenham, ao menos, a chance de ter a sua memória contada. A chance de ganhar identidade e alma para seguir vivendo na lembrança.

Por meio dessa iniciativa, familiares ou amigos próximos respondem a um questionário sobre a vítima. Esse questionário é automaticamente direcionado para uma rede de voluntários do projeto e, com base nas informações fornecidas, um texto tributo é criado para cada vítima no Memorial.

A escolha por uma rede de trabalho colaborativa não foi gratuita. Neste momento tão duro, sublinhamos a força da empatia e da cooperação entre as pessoas. Vivos ou mortos, nunca seremos números.

Inumeráveis é uma obra do artista Edson Pavoni em colaboração com Rogério Oliveira, Rogério Zé, Alana Rizzo, Guilherme Bullejos, Gabriela Veiga, Giovana Madalosso, Rayane Urani, Jonathan Querubina e os jornalistas e voluntários que continuamente adicionam histórias à este memorial.

Caso você queira nos ajudar a transformar gente em prosa, inscreva-se para o voluntariado